Próximos eventos
Nenhum evento
Vídeos
Newsletter


Receber em HTML?

Dinamização das Comunidades Educativas Locais

 

Aproxima-se mais um Carnaval, data festiva, com especial apreço pelos mais novos que aproveitam esta altura para se divertirem com os seus disfarces e fantasias.

Tendo em conta que, algumas escolas das freguesias rurais do nosso concelho realizam (ou poderiam vir a realizar) actividades neste âmbito, realizando desfiles de Carnaval pelas ruas das suas localidades, fomentando aprendizagens e vivências enriquecedoras para as crianças e população, partilhando com a comunidade local a sua alegria,os seus fatos, muitos deles confeccionados pelos seus pais e avós, promovendo assim o convívio entre a escola e a comunidade em geral, os vereadores da CDU eleitos na Câmara Municipal de Aljustrel propuseram na reunião de Câmara do passado dia 22 de janeiro, que os cinco euros que a Câmara disponibiliza este ano aos alunos que participem no desfile da Vila de Aljustrel, fosse extensível aos alunos das freguesias que efectuem também desfiles de Carnaval na sua comunidade escolar,  funcionando como incentivo e como forma de alargar esta prática às aldeias, dinamizando-as.

Esta proposta da CDU não foi aceite pelo executivo da Câmara Municipal. Contudo, continuaremos a insistir para que de futuro se altere esta prática.


Aljustrel, 27 de fevereiro de 2014

Os Vereadores da CDU

 

Cinco meses depois de inaugurado, o Centro Escolar de Aljustrel continua inacabado.

cevipasca

Fez na passada segunda-feira, dia 17 de Fevereiro, 5 meses que foi inaugurado oficialmente o Centro Escolar Vipasca, o qual continua a aguardar soluções para os vários problemas de construção e de outra ordem e que continuam por resolver.

Após os vários apelos e preocupações transmitidas por pais, encarregados de educação, professores e educadores, após constatação no local os vereadores da CDU eleitos na Câmara Municipal de Aljustrel alertam para as seguintes situações, que se arrastam desde a sua abertura e que requerem resolução urgente:

 

Continuar...

 

Em defesa dos Serviços Públicos do Concelho - Serviço de Finanças

A Comissão Concelhia de Aljustrel do PCP, realizou ontem, dia 8 de Janeiro, uma concentração junto à repartição de finanças de Aljustrel, que juntou mais de uma centena de aljustrelenses que reivindicaram e exigiram a continuidade daquele importante serviço público para todos.

pcp_aljustrel_02

photo 

Continuar...

 

Concentração contra o encerramento das finanças

MUPI_FINANCAS

 

A Comissão Concelhia de Aljustrel do PCP está contra o anunciado e generalizado encerramento de serviços de Finanças.

Esta decisão do Governo poderá levar ao encerramento de mais de centena e meia de serviços de finanças em todo o país, com maior percentagem de incidência no interior, onde está também incluído o serviço de Aljustrel.

 por considerar fundamental "o direito igual de qualquer cidadão, em qualquer concelho,  ao serviço público prestado" e, por esta medida, contrariar "qualquer lógica de desenvolvimento sustentado e equilibrado do País". Estamos assim perante mais um golpe na qualidade dos serviços públicos prestados aos cidadãos e aos contribuintes, negociado entre o PS, PSD e CDS e a Troika estrangeira e que irá agravar ainda mais a vida da população do Concelho de Aljustrel.

 Considerando que a redução e o encerramento de serviços públicos – escolas, extensões de saúde, Juntas de Freguesias, estações dos CTT e instalações de forças de segurança, somado à redução do investimento e à falta de emprego, tem contribuído para acentuar o processo de desertificação e despovoamento do concelho e freguesias.

Nesse sentido, o PCP numa acção de exigência, denuncia e defesa do direito dos cidadãos aos Serviços Públicos, convida a população de Aljustrel para uma concentração a realizar na próxima quarta-feira, dia 8, junto à repartição de finanças de Aljustrel, pelas 17.30h.
 

Mensagem de Jerónimo de Sousa, Secretário-Geral do PCP

 

 

 

Mensagem de Ano Novo de Jerónimo de Sousa

Num momento em que o governo executa uma política destrutiva, de confisco de salários, reformas e pensões, de ataques a direitos fundamentais, Jerónimo de Sousa deixa na sua mensagem de Ano Novo, «uma palavra de confiança, de esperança, dessa esperança que não fica à espera, que ganha nova dimensão com a luta dos trabalhadores e do povo».

O Secretário-Geral do PCP destaca que em 2014 se assinala «o ano 40 da Revolução de Abril, desse Abril que se transformou no acto e no processo mais avançado da nossa história contemporânea», e reafirma o compromisso de que «o PCP, nas horas boas e nas horas más, estará do lado certo, do lado dos trabalhadores e do povo português».

 

Em reacção à Mensagem de Natal do Primeiro-Ministro

Um governo fora-da-lei que a luta dos trabalhadores derrubará

Quarta 25 de Dezembro de 2013

Em reacção à Mensagem de Natal do Primeiro-Ministro, Pedro Guerreiro do Secretariado do Comité Central, afirmou que Passos Coelho é chefe de um governo fora da lei, que promove uma política de destruição do país, de saque aos trabalhadores e de benesses para o grande capital e que só a luta organizada do povo e dos trabalhadores derrubará.

 

 

 

 

Evocação da Fuga da Cadeia do Forte de Peniche

201401_evocacao_fuga_peniche 

 

Conjunto de iniciativas de evocação da Fuga da Cadeia do Forte de Peniche de 1960, nos dias 3 e 4 de Janeiro, no Forte de Peniche, em Peniche.

A iniciativa constituirá um elo de ligação das Comemorações do Centenário do Nascimento de Álvaro Cunhal às Comemorações do 40º Aniversário do 25 de Abril.

 

Programa:

3 de Janeiro*

16h00 - Inauguração da Exposição «Forte de Peniche, local de repressão, resistência e luta», no Salão Nobre.

18h30 - Evocação da Fuga de Peniche (Recriação histórica), junto às muralhas.**

 

4 de Janeiro

15h00 - Comício, com a participação de Jerónimo de Sousa, Secretário-Geral do PCP, no Forte de Peniche.

* Iniciativa de âmbito local às quais a Comissão das Comemorações do Centenário de Álvaro Cunhal se associa.

** Com a participação da Associação Espeleológica de Óbidos, do Grupo de Teatro dirigido por Fernanda Lapa e leitura de poema de João monge por Maria João Luís.